Carregando

Kolokiarts II - 30/11/2020 -Presença no museu:memória de quem e para quem?

por Arthur Hunold Lara

Incorporar
Recomendar
     
Gostei (0)

Formatos disponíveis

Assista a esse vídeo em: MP4 (1280 X 720 px) | MP4 (640 X 360 px)

Licença de uso

Acesso Simples (Azul)
Esta licença permite ao usuário somente assistir ao conteúdo do e-Aulas USP na plataforma, sendo vedada sua cópia e/ou redistribuição. Esta licença não permite o download do vídeo por nenhum usuário.

Sobre a aula

Presença no museu: memória de quem e para quem?

Aila Regind da Silva Pesquisadora PGHEA USP

Seu trabalho teórico e criativo abordam temas relevantes à arte visual e dança contemporânea no contexto de museus e instituições públicas. Coordenou o projeto "Dançando no Museu" de mediação com dança no Museu de Arte Contemporânea-MAC, 2016. É parte do board do CIANTEC-Congresso Internacional de Arte, Novas Tecnologias e Comunicação desde 2014. Integrante do núcleo de dança Corpo Ciênico desde 2014.

Disciplina

EHA5729-3 O Corpo Urbano e suas Performances

EMENTA

Desenvolver a pesquisa e discussões das artes ligadas à performance urbana sob o ponto de vista do corpo, do espaço e do movimento:
Razão, Corpo e Pele & Cidade Moderna
• Corpo sensório-motor, pele e cotidiano;
• Cafés públicos: o espaço da formação das vanguardas;
• Os manifestos das vanguardas;
• As primeiras performances no espaço público.
Os Salões paralelos, os manifestos e o museu aberto
• O museu como relicário;
• O devir da rua e os salões paralelos;
• O museu como espaço do evento espetacular;
• O “Efeito Bilbao”.
Vanguardas Artísticas e suas linguagens no Espaço Urbano
• Ruas e becos: o espaço da formação das vanguardas;
• Devir da rua: ruído, magia e ilusionismo;
• Do Happining (conteúdo) para a performance (nudez);
• Os pioneiros do happening e das performances.
Gangues & Galeras
• Do Niilismo Tecnocrático à Lógica da Destruição;
• Experiências Subterrâneas: escatologia, violência e horror;
• Das Pequenas Mutilações ao Transgender;
• O corpo como campo de batalha: do homem-bomba à mulher-bomba;
• Do corpo fotográfico ao corpo fílmico-midiático;
• Artistas da linguagem da performance.
Coletivos & Projeções Urbanas
• Black blocks: A Batalha Urbana de Seattle;
• Movimentos: do MST ao Sem-Tetos;
• Coletivos de arte: Ocupação urbana de arte ou produto;
• Da Primavera Árabe ao Mapping da revolta urbana dos 20 centavos;
• Multidão & Altermodernidade: Uma nova classe que ocupa as ruas.

Objetivo

O curso pretende abordar a produção artística e circulação das artes plásticas ligadas recente ao suporte urbano (performances, dança contemporânea, interferências e instalações) compreendendo o corpo simbólico e a sua dinâmica nos processos de identidade, significação e associação. O embasamento da disciplina objetiva abordagem do corpo e suas relações espaciais com as metrópoles.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
• Entender a evolução das artes ligadas à performance;
• Conhecer os grupos que atuam no espaço;
• Discutir as táticas e práticas da performance associada ao suporte urbano com foco na experiência corporal;
• Apresentar artistas, grupos e projetos como ênfase nas artes de vanguarda.

Índice de vídeos da disciplina

  1. Kolokiarts II 23/11/2020 Instalações efêmeras urbanas contemporâneas latino-americanas: brecha para construção de afetos e coabitações Fabiane Carneiro
  2. Kolokiarts II - 23/11/2020 -Derivas na Arte Contemporânea: O corpo em movimento no espaço
  3. Kolokiarts II - 30/11/2020 -Formas do Corpo no Museu: Dança no MAC, Tino Sehgal e Anne Imhof
  4. Kolokiarts II - 30/11/2020 -Presença no museu:memória de quem e para quem?
Pró-Reitoria de Graduação
Telefone: +55 11 3091-9942