Carregando

Aula - Como fazemos nossos corpos (2) Corpo múltiplo

por Julio Assis Simoes

Incorporar
Recomendar
Download
     
Gostei (0)

Formatos disponíveis

Assista a esse vídeo em: MP4 (1280 X 720 px) | MP4 (640 X 360 px)

Licença de cópia, reuso e redistribuição

Sobre a aula

Como fazemos nossos corpos (2) Corpo múltiploParticipação de Marisol Marini- MOL, Annemarie. 'Doing Disease' e 'Different Atheroscleroses' (Capítulos 1 e 2). In: MOL, Annemarie. The body multiple: ontology in medical practice. Durham: Duke University Press, 2002. (Tradução para uso didático disponível)- Corpos múltiplos, ontologias políticas e a lógica do cuidado. Uma entrevista com Annemarie MOL. Interface, 22 (64), p. 295-305, 2018.- MARINI, Marisol. O que podem nossos corpos. Revista do Centro de Pesquisa e Formação SESC, 2020. reviado. Título: subtítulo. Edição. Local de publicação: Editora, data de publicação da obra

Disciplina

FLA0396-1 Tópicos de Antropologia: Marcadores Sociais da Diferença II

EMENTA

O conteúdo irá variar de acordo com a\o professora\o que ministrar a disciplina. Mas de uma forma geral, serão as seguintes linhas de pesquisa e reflexão abordadas.

- A linguagem dos direitos humanos na contemporaneidade: sujeitos, práticas e resistências
- Antropologia e saúde
- Antropologia e direito
- Etnografias sobre o corpo
- Marcadores sociais da diferença, tempo e espaço
- Políticas de raça, gênero, sexualidade, identidades nacionais, geração, deficiência: sob a ótica do sofrimento, da moral e da compaixão.

Objetivo

O curso pretende trazer para a sala de aula leituras e reflexões sobre o processo de inflexão em curso que vem reconfigurando a construção de políticas e programas sociais nos campos da saúde e do direito. Contam neste processo a constituição recente de uma série de regimes democráticos (como Brasil, Argentina, Chile, África do Sul, Moçambique, entre outros países de diferentes continentes) e de inúmeros acordos internacionais como a Convenção 169 da OIT (1989), a Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (Cairo 1994), a 4ª Conferência Mundial da Mulher (Beijing, 1995), a Conferência Mundial contra o Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata (África do Sul, 2001), a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, promulgada pela ONU, entre outros encontros relevantes no cenário internacional dos quais muitos países foram signatários. Essas Convenções e conferências têm um impacto de largo espectro que ainda vem sendo explorado nos cenários nacional e internacional.

Índice de vídeos da disciplina

  1. Interfaces entre saúde e antropologia. Introdução.
  2. Interfaces entre saúde e antropologia. O campo da antropologia da Saúde. Bloco 1
  3. Interfaces entre saúde e antropologia. O campo da Antropologia da Saúde. Bloco 2
  4. Interfaces entre saúde e antropologia. O campo da Antropologia da Saúde. Bloco 3
  5. Aula 2 Saúde, doença e lógica cultural_introdução
  6. Aula 2 Saúde, doença e lógica cultural_Bloco 1
  7. Aula 2 Saúde, doença e lógica cultural_Bloco 2
  8. Aula - Como fazemos nossos corpos (2) Corpo múltiplo
  9. Aula 2 Saúde, doença e lógica cultural - Bloco 3
  10. Aula 2 Saúde, doença e lógica cultural - Bloco 4
  11. Biopoder e biopolítica no século XXI : perspectivas (1) - Bloco 1
  12. Aula 3 A doença como experiência. Representações e narrativas
  13. Aula 3 A doença como experiência. Representações e narrativas. Bloco 1
  14. Biopoder e biopolítica no século XXI : perspectivas (1) - Bloco 2
  15. Aula 3 A doença como experiência. Representações e narrativas. Bloco 2
  16. Biopoder e biopolítica no século XXI : perspectivas (1) - Bloco 3
  17. Aula 3 A doença como experiência. Representações e narrativas. Bloco 3
  18. Aula 3 A doença como experiência. Representações e narrativas. Bloco 4
  19. Aula 4 Itinerários terapêuticos e práticas biomédicas. Etnografia da clínica
  20. Aula 4 Itinerários terapêuticos e práticas biomédicas. Etnografia da clínica
  21. Biossocialidades e ativismos: saúde, doença e movimentos sociais - Bloco 2
  22. Aula 4 Itinerários terapêuticos e práticas biomédicas. Etnografia da clínica. Bloco 2
  23. Aula 4 Itinerários terapêuticos e práticas biomédicas. Etnografia da clínica. Bloco 3
  24. Aula 5 Saúde e iniquidades de gênero e raça
  25. Aula 5 Saúde e iniquidades de gênero e raça. Bloco 1
  26. Biopoder e biopolítica no século XXI : perspectivas (2) - INTRODUÇÃO
  27. Aula 5 Saúde e iniquidades de gênero e raça. Bloco 2
  28. Aula 5 Saúde e iniquidades de gênero e raça. Bloco 3
  29. Aula 6 História social de uma epidemia: zika. Introdução
  30. Biopoder e biopolítica no século XXI : perspectivas (2) - BLOCO 2
  31. Biopoder e biopolítica no século XXI : perspectivas (2) - BLOCO 1
  32. Aula 6 História social de uma epidemia: zika. Bloco 1
  33. Aula 6 História social de uma epidemia: zika. Bloco 2
  34. Biopoder e biopolítica no século XXI : perspectivas (2) - BLOCO 1 extra (discussão vespertino)
  35. Aula 7 Biossocialidades e ativismos: corpo, doença, movimentos sociais - Introdução
  36. Biopoder e biopolítica no século XXI : perspectivas (2) - BLOCO 2 extra (discussão vespertino)
  37. Aula 7 Biossocialidades e ativismos: corpo, doença, movimentos sociais - Bloco 1a
  38. Biopoder e biopolítica no século XXI : perspectivas (3) - Introdução
  39. Aula 7 Biossocialidades e ativismos: corpo, doença, movimentos sociais - Bloco 1b
  40. Biopoder e biopolítica no século XXI : perspectivas (3) - Bloco 1
  41. Biopoder e biopolítica no século XXI : perspectivas (3) - Bloco 2
Superintendência de Tecnologia da Informação