Carregando
Página inicial »Biológicas » Enfermagem

Enfermagem

Há 54 vídeos disponíveis em 15 disciplinas desta profissão
    1 2
15 disciplinas relacionadas a esta profissão

Disciplinas

OBJETIVO GERAL DO MÓDULO

Interpretar a ocorrência e o enfrentamento das doenças transmissíveis e desenvolver práticas de enfermagem voltadas às ações de vigilância em saúde, segundo o referencial teórico da Determinação Social do Processo Saúde-Doença.


IMPORTÂNCIA DESTE PROGRAMA DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DO ENFERMEIRO, NESTE MOMENTO DO CURSO.

As doenças transmissíveis representam agravos de grande magnitude em nosso meio. Estão presentes em todas as ações do cuidado em saúde e em toda a rede de atenção do Sistema Único de Saúde. Neste momento, considera-se que o aluno já possui conhecimentos e habilidades teórico-práticas para desenvolver este programa de aprendizagem.

SITUAÇÕES NOS QUAIS SE FARÁ USO INTEGRADO DOS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS NO PROGRAMA

• Aplicação das práticas de biossegurança;
• Realização de consulta de enfermagem;
• Realização de visita domiciliária;
• Realização de ações/atividades de Vigilância Epidemiológica;
• Aplicação dos conhecimentos das ciências básicas em saúde, da enfermagem em saúde coletiva, de imunizações e de ética no cuidado;


OBJETIVOS ESPECÍFICOS DO PROGRAMA X LÓGICA DOS CONTEÚDOS:

Referentes à ação docente:

1. Estimular a capacidade crítica do aluno para interpretar a ocorrência das DT no cenário epidemiológico contemporâneo e as ações de enfrentamento, utilizando-se da Teoria da Determinação Social do Processo Saúde-Doença e do conceito de Vulnerabilidade;
2. Oportunizar experiências de aprendizagem visando o desenvolvimento de competências relacionadas ao cuidado de indivíduos com DT, sua famílias e a coletividade, com base na Vigilância Epidemiológica.

Referente à ação discente:

1. Reconhecer as práticas de saúde voltadas às doenças transmissíveis de maior prevalência nosso meio;
2. Desenvolver o raciocínio clínico e epidemiológico na atenção às DT;
3. Analisar dados dos sistemas de vigilância epidemiológica;
4. Executar ações de vigilância epidemiológicas das doenças transmissíveis;
5. Reconhecer as potencialidades e os limites das estratégias de enfrentamento das DT;
6. Reconhecer a articulação entre as práticas de saúde realizadas na atenção especializada e as desenvolvidas na Atenção Básica (referência e contra-referência, integralidade do sistema);
7. Reconhecer preconceitos, representações e ações de discriminação frente às doenças transmissíveis;
8. Interpretar a ocorrência das doenças transmissíveis à luz do conceito de Vulnerabilidade.
OBJETIVOS
Promover o aprendizado de conceitos e instrumentos da Saúde Coletiva, aplicados à Atenção Básica, tomando como eixo norteador as necessidades de saúde dos grupos sociais.

OBJETIVO GERAL DO MÓDULO.

Propiciar o desenvolvimento e a integração de conhecimentos, habilidades e atitudes do estudante para o processo de cuidado de enfermagem, visando atenção integral e humanizada às necessidades de saúde dos usuários (pessoas, famílias e grupos) em Unidades Básicas de Saúde.

IMPORTÂNCIA DESTE PROGRAMA DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DO ENFERMEIRO, NESTE MOMENTO DO CURSO. É fundamental que se estruture, de maneira sistemática e completa, o ensino dos conceitos e instrumentos da Saúde Coletiva aplicados à Atenção Básica, de forma a fundamentar o ensino das bases do cuidado e do planejamento, implementação e avaliação da assistência de enfermagem na Atenção Básica. Além disso, esta proposta pretende ampliar o escopo do ensino dos conceitos e instrumentos da Saúde Coletiva para o cuidado aos grupos sociais, para além do cuidado aos indivíduos/famílias.

SITUAÇÕES (eixos integrativos) NOS QUAIS SE FARÁ USO INTEGRADO DOS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS NO PROGRAMA. Os conhecimentos e habilidades desenvolvidos nos módulos “Necessidades de Saúde dos Grupos Sociais, Enfermagem como Prática Social”, “Bases para ação educativa”, “Avaliação de indivíduos e famílias” serão integrados aos conhecimentos e práticas de Saúde Coletiva, por meio da aplicação de conceitos e instrumentos de Saúde Coletiva na atenção a famílias de diferentes grupos sociais, residentes nos territórios das Unidades Básicas de Saúde. Esse conjunto de saberes possibilitará o desenvolvimento de práticas voltadas às necessidades de saúde dos grupos sociais dos territórios de práticas, a partir de projetos de cuidados a famílias.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS DO PROGRAMA X LÓGICA DOS CONTEÚDOS.
I. Referentes à ação docente:
1) Possibilitar a compreensão da organização do trabalho e do modelo assistencial, a partir da discussão dos dados obtidos pela aplicação de roteiro de reconhecimento do trabalho da enfermagem na Atenção Básica, durante as atividades práticas;
2) Discutir as políticas estatais de saúde no Brasil e as diretrizes do Sistema Único de Saúde, como resposta às necessidades de saúde de grupos sociais, partindo-se das famílias residentes nos territórios de práticas;
3) Orientar a elaboração e implementação de projetos de cuidado de enfermagem para responder às necessidades de saúde de grupos sociais, a partir de projetos de cuidado às famílias.

II. Referentes à ação discente:
1) Aplicar o roteiro de reconhecimento do trabalho da enfermagem na Atenção Básica durante a participação nas atividades;
2) Elaborar projetos de cuidado de enfermagem em saúde coletiva voltados a necessidades de saúde de grupos sociais, a partir das diretrizes do Sistema Único de Saúde e considerando as políticas estatais de saúde.
1. Efetuar práticas de proteção à exposição de agentes infecciosos e transmissíveis, voltadas aos usuários e trabalhadores, particularmente os da área da saude e reconhecer outros riscos ocupacionais (físicos, químicos e outros). OBJETIVOS ESPECÍFICOS DO PROGRAMA X LÓGICA DOS CONTEÚDOS.
Aluno:
• Reconhecer o potencial de transmissibilidade e infectividade de patógenos nas suas diversas fontes;
• Identificar situações de exposição, particularmente de trabalhadores e usuários de serviços de saúde, aos riscos biológicos e os agravos relacionados a essa exposição;
• Descrever as práticas de proteção à agentes infecciosos;
• Reconhecer e utilizar as recomendações, ações e fluxos na ocorrência de exposição ao risco biológico;
• Utilizar medidas de proteção ao risco biológico (vacinação, uso de equipamentos de proteção, otras condutas), inclusive na realização das atividades práticas;
• Identificar outros riscos ocupacionais no cuidado de enfermagem.
Docente:
• Estimular a capacidade crític-reflexiva do aluno para reconhecer o potencial de transmissibilidadee infectividade de patógenos nas suas diversas fontes;
• Oportunizar experiências de aprendizagem visando o desenvolvimento de competências relacionadas à prevenção da exposição ao risco biológico nas diferentes situações do cuidado de enfermagem.
1. Aplicar as Etapas do Processo de Enfermagem: coleta de dados (anamnese e exame físico), diagnóstico de enfermagem (análise dos dados - julgamento clínico e utilização da taxonomia da NANDA), planejamento (metas, objetivos e prescrições), implementação e avaliação da assistência de enfermagem, nas unidades de internações clínicas, à luz do Modelo Conceitual de Horta;
2. Caracterizar os estados de saúde-doença agudo, crônico, crítico e terminal.
- Apresentar os conceitos de reabilitação, participação, autonomia e autocuidado.
- Vivenciar, refletir e debater os aspectos relacionados à reabilitação com destaque na autonomia e gestão do autocuidado, em uma abordagem interdisciplinar e prática; bem como fornecer subsídios para a compreensão da relevância da participação das pessoas com deficiência, que representa um desafio de ordem social e econômica para o setor público e para os profissionais de reabilitação.
- Apresentar e discutir estratégias de gestão do autocuidado e capacitação de pessoas com deficiência com foco na autonomia e na participação, embasadas em experiências nacionais e internacionais com abordagem interdisciplinar.
- Discutir e analisar a legislação nacional e internacional que normatiza os direitos da pessoa com deficiência na perspectiva da saúde.
- Apresentar noções de inovações e pesquisas para o desenvolvimento da reabilitação de pessoas com deficiência.
OBJETIVO GERAL DO MÓDULO
Propiciar o desenvolvimento e a integração de conhecimentos, habilidades e atitudes do estudante para o processo de cuidado de enfermagem na saúde do adulto e do idoso, visando a atenção integral e humanizada e as necessidades de saúde dos usuários (pessoas, famílias e grupos) em Unidades Básicas de Saúde.

IMPORTÂNCIA DESTE PROGRAMA DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DO ENFERMEIRO, NESTE MOMENTO DO CURSO
O aluno já aprendeu a trabalhar com os instrumentos de reconhecimento das necessidades e nesse momento vai iniciar açöes de cuidado de enfermagem na saúde do adulto e do idoso. A Unidade Básica de Saúde é reconhecida como a principal porta de acesso dos usuários ao SUS e deve se responsabilizar pela resolução de 80% dos problemas prevalentes em saúde.
Está em consonância com o perfil profissional estabelecido no PPP do curso de graduação em Enfermagem da EEUSP.

SITUAÇÕES (eixos integrativos) NOS QUAIS SE FARÁ USO INTEGRADO DOS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS NO PROGRAMA
Nesta disciplina, os conhecimentos e habilidades desenvolvidos anteriormente serão integrados a novos conhecimentos e habilidades relativos ao cuidado na saúde do adulto e do idoso na Atenção Básica. A aplicação destes proporcionará aos estudantes exercitar o raciocínio clínico durante a realização das atividades teórico-práticas. Esse conjunto de saberes e ações possibilitará a adequação da prática do cuidado à realidade, bem como comporá o perfil generalista do profissional.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS DO PROGRAMA X LÓGICA DOS CONTEÚDOS
l. Referentes à ação docente:
1. Instrumentalizar o planejamento e a implementação da assistência de enfermagem na saúde do adulto e do idoso na atenção básica.
2. Estimular e acompanhar o estudante na participação de projetos de promoção da saúde de caráter intersetorial, nas açöes voltadas à saúde do adulto e do idoso.
3. Promover articulação com os campos de prática, com vistas a garantir o espaço de formação do estudante nesses locais (este objetivo não se articula aos conteúdos, mas é uma atividade necessária para a consecução das atividades discentes em campos de prática, demandando carga horária docente).
II. Referentes à ação discente:
1. Aplicar conceitos de promoção e recuperação da saúde, prevenção de doenças e agravos, no cuidado de enfermagem na saúde do adulto e do idoso na Atenção Básica;
2. Prestar cuidados de enfermagem na saúde do adulto e do idoso, pautados no contexto social, no perfil epidemiológico em que se inserem e nas dimensões clínica, ética e relacional/interacional;
3. Identificar elementos do processo de trabalho assistencial de enfermagem e de saúde na Atenção Básica
Desenvolver habilidades cognitivas, técnicas, interpessoais e ética para o atendimento sistematizado das urgências e emergências clínicas, traumáticas, ginecológicas, obstétricas, pediátricas e psiquiátricas de maior prevalência nos serviços de saúde.
Que o aluno seja capaz de: prestar assistência de enfermagem ao adulto e ao idoso internados em unidades hospitalares, a partir do desenvolvimento das etapas do Processo de Enfermagem: coleta de dados (entrevista e exame físico), diagnóstico de enfermagem (análise dos dados - julgamento clínico e utilização da taxonomia da NANDA-I, Inc.), planejamento (metas, objetivos e prescrições), implementação e avaliação da assistência de enfermagem, à luz do Modelo Conceitual de Horta.
1. compreender as bases teórico-metodológicas para o desenvolvimento de pesquisas sobre o consumo de drogas pela juventude, a partir das matrizes teórico-metodológicas da Saúde Coletiva;
2. analisar o desenho dos estudos sobre a temática nas diferentes abordagens teórico-metodológicas;
3. conhecer as potencialidades e as limitações dos métodos e técnicas de pesquisa pra a apreensão do objeto, a partir das matrizes teórico-metodológicas da Saúde Coletiva.
Instrumentalizar os alunos de graduação para:
a) reconhecer a complexidade do consumo contemporâneo de drogas, identificando as principais abordagens no campo da prevenção de drogas;
b) identificar a epidemiologia do consumo de drogas no Brasil, a classificação das drogas e seus efeitos sobre o Sistema Nervoso Central (SNC);
c) discutir os prejuízos, as limitações e as repercussões sociais que podem advir do consumo de drogas;
d) identificar as práticas que apóiem a reorientação da política social pública relacionada à prevenção do consumo prejudicial de drogas.
    1 2
15 disciplinas relacionadas a esta profissão

 

Pró-Reitoria de Graduação
Telefone: +55 11 3091-9942