Carregando
Página inicial »Humanas » Ciências Sociais » [FLA0387-1] Antropologia das emoções: modos de (re)construção e de regulação da vida social

[FLA0387-1] Antropologia das emoções: modos de (re)construção e de regulação da vida social

Ordenar por:    Aula   |   Título   |   Por data (mais novo ao mais antigo)
    1 2
14 vídeos disponíveis nesta disciplina

Vídeos

Aula 3 - Interseccionalidade e marcadores sociais da diferença: o que se diz e o que se escreve - raça, gênero sexualidade e deficiência.
HOOKS, Bell. Vivendo de Amor. http://arquivo.geledes.org.br/areas-de-atuacao/questoes-de-genero/180-artigos-de-genero/4799-vivendo-de-amor HIGA, Laís; LEE, Caroline & SHIMABUKU, Gabriela. “Feminismo asiático”. In: Explosão Feminista, org. Heloísa Buarque de Hollanda. São Paulo, 2018. Companhia das Letras. GONZALEZ, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, p. 223-44, 1984. NASCIMENTO, Beatriz. A mulher negra e o amor. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de (Org). Pensamento Feminista Brasileiro: formação e contexto. São Paulo: Bazar do tempo, 2019. p. 259 - 264. NASCIMENTO, Beatriz. A mulher negra no mercado de trabalho. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de (Org). Pensamento Feminista Brasileiro: formação e contexto. São Paulo: Bazar do tempo, 2019. p. 265 - 270. BAIRROS, Luíza. Novos Feminismos Revisitados. Revista de Estudos Feministas, (UFSC. Impresso), Florianópolis, 1995, vol. 3, nº2, pp.458-463 https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2014/04/Nossos_Feminismos_Revisitados_Luiza_Bairros.pdf MATEBENI, Zethu. Perspectivas do Sul sobre relações de gênero e sexualidades: uma intervenção queer. In: Revista de Antropologia. Vol.60(3)2017 pp26/44 http://www.revistas.usp.br/ra/issue/view/10362 ANZALDUA, Gloria. “movimientos de rebeldía y las culturas que traicionan” e “La consciencia mestiza: towards a new consciousness”. En Borderlands/La Frontera: The New Mestiza. Sao Francisco: Aunt Lute Books. 1987. pp: 15- 24 e 77-101. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2005000300015 HURSTON, Zora Neale. O que os editores brancos não publicarão (Tradução) / Zora Hurston e as luzes negras das Ciências Sociais (Texto de apresentação - Messias Basques) http://www.revistas.unilab.edu.br/index.php/Antropologia/article/view/288/141 Bibliografia complementar GONZALEZ, Lélia. Por um feminismo afrolatinoamericano. Revista Isis Internacional, 9, p. 133-141, 1988. https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/271077/mod_resource/content/1/Por%20um%20feminismo%20Afro-latino-americano.pdf RATTS, Alex. Eu sou atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento. São Paulo: Instituto Kuanza, 2006.
MBEMBE, Achille. Necropolítica. Artes e ensaios, n. 32, 2016. pp 123-151 https://revistas.ufrj.br/index.php/ae/article/view/8993/7169 FERNANDES, Camila. Figuras do constrangimento: As instituições de Estado e as políticas de acusação sexual. Mana [online]. 2019, vol.25, n.2 [cited 2020-04-06], pp.365-390. Available from: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132019000200365&lng=en&nrm=iso>. Epub Sep 05, 2019. ISSN 0104-9313. https://doi.org/10.1590/1678-49442019v25n2p365. Bibliografia complementar FOUCAULT, Michael. Aula de 17 de março de 1976. In: Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2005 file:///C:/Users/ckresearch/Downloads/foucault-em_defesa_da_sociedade_aula%2017%20de%20mar%C3%A7o%20(1).pdf FELDMAN, Allen. On Cultural Anesthesia: From Desert Storm to Rodney King. American Ethnologist 21 (2): 404-418.
FASSIN, Didier. “Compassion and repression: The moral economy of immigration policies in France”. Cultural Anthropology, v. 20, n. 3, august, 2005. pp. 362-387. (Tradução: Compaixão e Repressão: A Economia Moral das Políticas de Imigração na França, por Gleicy Silva e Pedro Lopes, Revista Ponto Urbe). https://journals.openedition.org/pontourbe/2467 Zamboni, Márcio. O barraco das monas na cadeia dos coisas: notas etnográficas sobre a diversidade sexual e de gênero no sistema penitenciário. Aracê - Direitos Humanos em Revista, v. 4, p. 93-115, 2017. https://arace.emnuvens.com.br/arace/article/view/135 Bibliografia complementar MOUTINHO, Laura. “Sobre danos, dores e reparações: The Moral Regenaration Movement – controvérsias morais e tensões religiosas na ordem democrática sul-africana”. (Org. Wilson Trajano Filho) Travessias antropológicas: estudos em contextos africanos. Brasília: ABA Publicações, 2012. BECKER, Howard S. De que lado estamos. In: FASSIN, Didier & LÉZÉ, Samuel (Orgs). A questão moral: Uma antropologia crítica. Campinas: Editora da Unicamp, 2018. pp 442 a 455.
ROSS, Fiona. “La elaboración de uma Memoria Nacional: la Comisión de Verdad y Reconciliación de Sudáfrica”. Cuadernos de antropología social, n. 24, Buenos Aires, jul./dez, 2006. http://revistascientificas.filo.uba.ar/index.php/CAS/article/view/4408/3912 LAGO, Natalia. Dias e noites em Tamara: prisões e tensões de gênero em conversas com “mulheres de preso”. CADERNOS PAGU, v. 1, p. 1-26, 2019. http://www.scielo.br/pdf/cpa/n55/1809-4449-cpa-55-e195506.pdf Bibliografia complementar Documentário: Ruanda, histórias de um genocídio. 7 bilhões de outros. Nadai, Larissa; Cesar, Rafael do Nascimento, & Veiga, Cilmara. (2019). De venenos, escutas e assombrações: caminhos para etnografar o silêncio. Mana, 25(3), 837-850. Epub January 27 2020. https://doi.org/10.1590/1678-49442019v25n3p837 MOUTINHO, Laura. Sob a ótica do feminino: raça e nação, ressentimentos e (re)negociações na África do Sul pós-apartheid. In: WERNECK, Alexandre; Luis Roberto Cardoso de Oliveira. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2014
DAS, Veena. “Fronteiras, violência e o trabalho do tempo: alguns temas wittgensteinianos”. RBCS, v. 14, n. 40, jun. 1999. http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v14n40/1706.pdf PIMENTA, Denise. "Pandemia é coisa de mulher: Breve ensaio sobre o enfrentamento de uma doença a partir das vozes e silenciamentos femininos dentro das casas, hospitais e na produção acadêmica". (no prelo - não circulem o texto pq ele ainda vai ser publicado) PIMENTA, Denise - https://www.horizontesaosul.com/single-post/2020/04/09/AZULEJOS-AMARELOS Bibliografia complementar POLLAK, Michael. Memória, Esquecimento e Silêncio. In: Revista Estudos Históricos. Cpdoc\FGV: Rio de Janeiro, Vol. 2,(3)1989, pp. 3-15. http://www.uel.br/cch/cdph/arqtxt/Memoria_esquecimento_silencio.pdf VIANNA, Adriana e FARIAS, Juliana . A guerra das mães: dor e política em situações de violência institucional. Cadernos Pagu (UNICAMP. Impresso), v. 37, p. 79-116, 2011. http://www.scielo.br/pdf/cpa/n37/a04n37.pdf
Das, Veena. O ato de testemunhar: violência, gênero e subjetividade. Cad. Pagu [online]. 2011, n.37, pp. 9-41. http://www.scielo.br/pdf/cpa/n37/a02n37.pdf SARTI, Cynthia. Enunciações da tortura: memórias da ditadura brasileira. In: Revista de Antropologia, USP, pp.505-529, v.62, nº3, 2019. http://www.revistas.usp.br/ra/article/view/165230/158422 Bibliografia complementar COELHO, Maria Cláudia. Três Mulheres no Nazismo: reflexões sobre as fontes do comportamento moral. Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, p. 13-48, 2009. https://revistas.ufrj.br/index.php/dilemas/article/view/7189/5768
CHO, Grace M. Haunting the Korean Diaspora: Shame, Secrecy, and the Forgotten War. Minneapolis: University of Minesota Press, 2008. (capítulo 2) TOSOLD, Léa. Autodeterminação em três movimentos: a politização de diferenças sob a perspectiva da (des)naturalização da violência. 2018. Tese (Doutorado em Ciência Política) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018 (Prelúdio pp15-22; Segunda parte do terceiro movimento pp57-92). https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8131/tde-05022019-135424/pt-br.php Complementar CHO, Grace M. Haunting the Korean Diaspora: Shame, Secrecy, and the Forgotten War. Minneapolis: University of Minesota Press, 2008. (Introdução)
CHO, Grace M. Haunting the Korean Diaspora: Shame, Secrecy, and the Forgotten War. Minneapolis: University of Minesota Press, 2008. (capítulo 2) TOSOLD, Léa. Autodeterminação em três movimentos: a politização de diferenças sob a perspectiva da (des)naturalização da violência. 2018. Tese (Doutorado em Ciência Política) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018 (Prelúdio pp15-22; Segunda parte do terceiro movimento pp57-92). https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8131/tde-05022019-135424/pt-br.php Complementar CHO, Grace M. Haunting the Korean Diaspora: Shame, Secrecy, and the Forgotten War. Minneapolis: University of Minesota Press, 2008. (Introdução)
Sessão voltada para a avaliação final, na qual abordaremos a estrutura do ensaio (ou projeto), e conversaremos com os alunos a respeito de suas propostas. Para que possamos melhor organizar a aula, estamos disponibilizando um fórum onde vocês podem trazer suas perguntas e propostas de trabalho final. Instruções trabalho final: Vocês devem escolher uma das seguintes opções: - Ensaio no qual se discuta um dos temas das sessões do curso. É necessário mobilizar os textos indicados em cada sessão (no mínimo 4), podendo trazer mais autores. Também é possível cruzar sessões mantendo o número mínimo de textos. - Projeto de pesquisa que aborde alguma das temáticas trabalhadas no curso. Nesse caso a mobilização de textos indicados na disciplina também é necessária, se mantendo o número mínimo de 4 artigos. As especificações de formatação são: fonte legível, corpo 11 ou 12, espaço 1,5, máximo de 2500 palavras. Entrega até 01 de julho às 23:59 no Moodle.
    1 2
14 vídeos disponíveis nesta disciplina

 

Pró-Reitoria de Graduação
Telefone: +55 11 3091-9942