Carregando
Página inicial »Humanas » Pedagogia » [PLC0702-1] Projeto de Ensino de Ciências I – Bases Teóricas

[PLC0702-1] Projeto de Ensino de Ciências I – Bases Teóricas

Ordenar por:    Aula   |   Título   |   Por data (mais novo ao mais antigo)
    1 2
14 vídeos disponíveis nesta disciplina

Vídeos

Em nossas aulas você irá rever, em novo contexto, certos conceitos-chave em metodologia de ensino de ciências por meio de estudos bibliográficos, principalmente utilizando fontes em português. O objeto de estudo desta disciplina serão as definições de conceito linguístico e conceito científico, representações sociais, discurso quotidiano, conflito cognitivo, construtivismo, discurso científico, procedimento experimental, ato educativo, triângulo didático, avaliação, epistemologia e método científico, contrato didático, trama conceitual e transposição didática.
No ensino de ciências é comum o recurso ao termo “conceito”, que geralmente designa algo mais complexo do que uma informação baseada em um fato. Do ponto de vista filosófico, um conceito designa uma ideia geral resultante de uma elaboração intelectual, mas, a rigor, essa é uma definição demasiadamente genérica para certas comunidades. Sem a definição de conceito, a referência a erro conceitual carece de sentido.
Nesta aula, vamos aprofundar a compreensão do que são as aproximações construtivistas do ensino de ciências. Elas têm se tornado predominantes, sendo empregados termos recorrentes como “construção do conhecimento”. Ao mesmo tempo, são frequentemente empregadas expressões que dão conta da importância de desenvolver habilidades de pensamento, que dispensariam, total ou parcialmente, os conteúdos conceituais normalmente referidos ao ensino. No texto, é realizada uma revisão do que sejam os conteúdos do ensino, em sentido amplo, ao mesmo tempo que se apresentam duas aproximações construtivistas clássicas no contexto escolar.
Nesta aula vamos retomar os conteúdos anteriores, sem pretender substituir a sua leitura integral e a realização das atividades propostas até este momento. Pretende-se apenas rever e aplicar temas e conceitos em situações diferentes, a fim de permitir ao aluno uma preparação mais consistente para a avaliação que se seguirá na próxima aula presencial.
É comum que os professores percebam sua realidade a partir de uma perspectiva individual, ligada à sua própria trajetória de vida. No entanto, a profissão de professor está ligada, em cada realidade concreta, a um contexto social e histórico e a percepção individual não pode estar dissociada dessa realidade mais ampla. Para tentar entender alguns desses elementos mais gerais, vamos começar a estudar questões mais específicas sobre a realidade do professor no Brasil a partir de uma perspectiva histórica. Você já se perguntou a razão de o dia 15 de outubro ter sido escolhido como o Dia do Professor? E, convergindo para a especificidade da realidade do professor de ciências, vamos estudar alguns condicionantes da visão de ciência que é apresentada aos alunos.
Vimos na última aula como a relação professor-aluno pode ser muito particular no caso do professor de ciências, apresentando a noção de contrato didático. Nesta aula aprofundaremos esse estudo, aproximando essa noção no contexto do ciclo empírico completo, estudando as bases éticas e legais da experimentação com animais. Essa aproximação se dará em duas vias: de um lado, estudaremos a questão filosófica de base, que envolve a ética na utilização de animais na pesquisa e no ensino; e, de outro, as questões legais formais. Isso será feito tanto no âmbito da produção de conhecimento científico quanto na utilização de animais para o ensino baseado em investigação.
Nesta aula a professora de ensino fundamental Eliana Midori Morita conta sobre algumas atividades práticas que faz com seus alunos em sala de aula.
Nesta aula a professora Fernanda Franzolin fala sobre sua pesquisa sobre conhecimento escolar, que além do saber científico, envolve também o saber social.
Nesta aula o professor Nelio Marco Vincenzo Bizzo discorre sobre o erro no ambiente escolar. Ele explica que o erro é tratado tradicionalmente como algo ruim, mas que deveria ser visto de outra forma, como algo inerente à própria aprendizagem do estudante.
A partir do estatuto do erro, visto na aula passada, o professor Nelio Bizzo continua com a ideia de identificar o motivo do erro do estudante para ajudá-lo a se corrigir e entender aquele assunto.
    1 2
14 vídeos disponíveis nesta disciplina

 

Pró-Reitoria de Graduação
Telefone: +55 11 3091-3290